Dia: 24 de março de 2024

Diário fotográfico da noite de abertura da Broadway de Grant Gustin

A estrela da adaptação da Broadway de Water for Elephants nos mostra os destaques da noite de estreia.

“As pessoas ficavam me perguntando se eu estava animado para a noite de estreia e é engraçado porque fizemos 24 shows antes disso, então parecia que já havíamos estreado”, disse Grant Gustin, estrela da nova produção da Broadway de Water for Elephants, diz T&C. “Acho que estava tentando moderar minha animação para não ficar muito ansioso – talvez estivesse apenas me controlando.” É claro que seus sentimetos sobre isso mudaram quando chegou a noite de estreia, que foi na quinta-feira à noite: “Eu não sabia o quão especial seria realmente”, diz ele.

O musical, baseado no romance homônimo de 2006, de Sara Gruen, marca a estreia de Gustin na Broadway – e seu retorno aos palcos após 13 anos fazendo cinema e TV (você pode reconhecê-lo da série The Flash da CW). O que também significava que esta era sua primeira noite de estreia. Não decepcionou. “Eu ainda não tinha experimentado, o que agora sei, a magia de uma noite de estreia na Broadway”, diz ele. “Não há realmente nada parecido.”

Aqui, Gustin compartilha alguns de seus destaques da noite.

“Definitivamente você percebe que há tanta história no Imperial Theatre”, diz Gustin. “Eu vi Hugh Jackman em The Boy from Oz no Imperial, vi Billy Elliot no Imperial e, ao pesquisar a história, vi que Gene Kelly se apresentou neste palco. É uma loucura. Ele foi um dos meus primeiros heróis e inspirações quando criança. Comecei a dançar sapateado quando tinha 8 anos por causa de Gene Kelly.”

“Paul (Nolan), Izzy (Isabelle McCalla) e eu temos nossos camarins no mesmo andar e passamos muito tempo juntos no palco. Nós três realmente nos tornamos como irmãos.”

Mamãe mandou flores, seu agente mandou uma garrafa de bourbon, mas qual o presente favorito da noite de estreia de Gustin? “Uma das trapezistas e artistas de circo do show é na verdade uma artista incrível. E ela interpreta um orangotango no show e há um momento em que ela tira meu lenço do bolso e depois o joga de volta para mim, um lenço branco, e nele ela desenhou o trem que representa nosso show. Foi muito fofo e muito pessoal.”

Alguns elementos de uma noite de estreia eram familiares – o tapete vermelho, a festa depois, amigos e familiares aplaudindo no público. Outros, como a cerimônia do manto legado, eram novos para Gustin. “Cada vez que um show da Broadway estreia, eles dão este manto ao membro do coro com mais créditos na Broadway”, diz ele. “Paul Castree o recebeu, e havia todos os outros ganhadores anteriores lá. Você podia sentir a história da Broadway e o quanto ela significa para as pessoas que fizeram parte dela ano após ano.”

“Eu tenho muitas tatuagens, então o primeiro passo quando chego lá é cobri-las”, diz Gustin sobre sua preparação pré-show antes de subir ao palco como Jacob Jankowski. “Então eu entro no camarim bem cedo e relaxo um pouco. Vou ler algo que não tem nada a ver com o show. Então, antes de irmos, farei uma meditação rápida para me concentrar.”

“Quando eles chamam os lugares, há um ritual que todos fazemos juntos como uma companhia antes de a cortina subir”, diz ele. “Há uma frase no show: ‘Aproximem-se e seja confiante.’ Então formamos um círculo e dizemos ‘Aproximem-se’ repetidamente até que todos tenham participado.”

“Isso foi no final da noite. Eu não tinha visto Paul a noite toda e subi até o terceiro andar para procurá-lo. E eles pediram para tirar uma foto de nós dois e ele me pegou.”

“Depois de fazer The Flash por quase 10 anos, eu sabia que queria subir no palco para limpar meu paladar depois de interpretar um personagem por tanto tempo e em um meio”, diz Gustin. “Eu sabia que seria assustador e difícil, e senti que precisava disso. E fiquei obcecado com a ideia de fazer Water for Elephants. Parecia o show perfeito no momento perfeito.”

“Ir para aquele primeiro ensaio pode parecer o primeiro dia de aula. Você só espera que todos gostem de você, você só quer se encaixar. E já faz muito tempo que não faço um musical. Mas todos eles me fizeram sentir muito bem-vindo e apoiado. E é exatamente isso que todo esse show é.”

Fonte: Town & Country

Tradução e adaptação: Grant Gustin Brasil